Educação pública de qualidade está ameaçada com o desmonte do INEP e do ENEM, aponta SINSERV

Assédio moral, desmonte das diretorias, sobrecarga de trabalho e desconsideração dos aspectos técnicos nas tomadas de decisões levaram 40 servidores do Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira a pedirem exoneração de seus cargos. O Presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Jequié (SINSERV), Venício Lucena se solidarizou com os servidores e disse que o Inep vem sofrendo com um processo de ataques do Governo Bolsonaro. “O nosso Sindicato se solidariza com esses servidores públicos valorosos que tiveram a coragem de se posicionar num momento de ataque ao trabalho fundamental do Inep para termos uma educação pública de qualidade no Brasil. As medidas conservadoras de orientação neoliberal prejudicam as políticas educacionais, o funcionamento do Ministério da Educação e os órgãos educacionais vinculados. Alheio aos interesses da Educação, o governo Bolsonaro atua para impor sua agenda ideológica no Inep, que, além de realizar o Enem, tem a atribuição de produzir informações para aprimorar o ensino no País”, afirmou.

O SINSERV condena a ingerência do Governo Federal e manifesta a necessidade de recompor o Inep, como fonte confiável para as políticas educacionais brasileiras. “É necessário a tranquilidade institucional para que os servidores e as sérvio desempenhem suas funções, sem ameaças e sobressaltos que comprometam a qualidade do seu trabalho e da atuação do Inep”, pontuou o presidente do SINSERV, Venício Lucena.

Sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), o SINSERV ressalta a importância de garantir que o exame seja efetivado em condições técnicas e pedagógicas adequadas e que, desse modo, contribua para a democratização das oportunidades educacionais de acesso à educação superior no País.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *