Dia da Consciência Negra é celebrado com eventos temáticos em Jequié

O SINSERV parabeniza a população e aos movimentos negros pelo Dia da Consciência Negra, celebrado hoje 20 de Novembro.

Muito embora a maior parte dos brasileiros seja afro-descente, ainda enfrentamos o preconceito, a discriminação e a negação dos direitos humanos garantidos pela Constituição Federal.

Em nome do Estado, no Brasil ainda mata-se muitos jovens negros. Índices policiais que poderiam ser revertidos em oportunidade de acesso à educação, ao trabalho e às políticas de inclusão social.

As duras reformas aprovadas pelo governo federal pioram ainda mais esse descompasso. Estima-se que a população negra será a mais afetada pela desigualdade social provocada por essas medidas. O Brasil está voltando à escravidão moderna, com perdas dos direitos trabalhistas, aumento de carga horária, fim do concurso público e desqualificação profissional, entre outros. Por outro lado, uma minoria de senhores lucra à custa do trabalho escravo. A história se repete, apenas com a mudança de cenários agora, em sua maioria, voltados aos trabalhos industriais e dos centros urbanos. 

Com uma sociedade escravista, o negro precisa lutar por tudo

Neste ano, o Dia da Consciência Negra será marcado por estratégias de luta em todo o país. Aqui em Jequié vários movimentos estão organizando eventos para ampliar a consciência da população afro-descendentes sobre sua cultura e formas lutas para a inclusão social.

Às 18:30 de hoje, o Colégio Polivalente debate o tema “raça, preconceito e desigualdade: desafios de uma sociedade complexa”.

Já na UESB, Campus de Jequié, a celebração acontece pela XIII Semana da Pertença Afro-Brasileira através do ODEERE – Órgão de Educação e Relações Étnicas. Desde sexta-feira (16) o ODEERE reuniu professores, estudantes, pesquisadores e a comunidade para debater as produções culturais e científicas, bem como as propostas sociais voltadas à população negra de Jequié e região.

O evento finaliza hoje (20/11), manhã/tarde, com atividades abertas na UESB. Durante a noite o ODEERE estende a programação para o Museu Histórico de Jequié. Na oportunidade, o cineasta jequieense Antonio Olavo estará apresentando a sua recente produção cinematográfica “Travessias Negras”.

Antonio Olavo é um nome muito conhecido pelas suas produções cinematográficas voltadas às culturas tradicionais, aos movimentos negros e de resistência social. Com um trabalho premiado em outros países e aprovado pela Secretaria de Educação da Bahia, agora volta com uma série produzida para a TVE. Travessias Negras vai ser exibida no Museu de Jequié às 19 horas.

Antonio Argolo Silva Neto

Diretor de Comunicação/SINSERV. Professor Mestre em Desenho, Cultura e Interatividade (UEFS), especialista em Cultura Afro-Brasileira (UESB)

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *