Justiça concede liberdade a acusada no caso do menino com agulhas no corpo

O juiz Oclei Alves da Silva, titular da Vara Criminal de Ibotirama (BA), concedeu, nesta terça-feira (9), liberdade provisória para a acusada no caso do menino de 2 anos com agulhas no corpo. O pedido foi feito pelos advogados de defesa dela durante a audiência de instrução e julgamento, na quinta-feira (4).

 O Ministério Público denunciou o padrasto da criança e a amante dele por tentativa de homicídio qualificado do garoto. O menino foi levado a uma unidade de saúde de Ibotirama depois de reclamar de dores na barriga, em dezembro do ano passado. Um exame mostrou que ele tinha várias agulhas espalhadas pelo corpo. A vítima foi internada em Salvador, onde passou por três cirurgias, mas alguns fragmentos metálicos permanecem no corpo dele. Liberdade provisória A acusada estava na carceragem da Delegacia de Polícia de Ibotirama e foi levada para casa na noite desta terça-feira.

 Segundo o Ministério Público, a acusada não poderá se ausentar da cidade ou viajar e deverá comparecer ao fórum toda vez que for intimada ou convocada pela Justiça. O padrasto do menino está internado em um hospital em Bom Jesus da Lapa e será julgado separadamente, pois a Justiça espera o resultado de exames de sanidade mental. Segundo o MP, o juiz encerrou a primeira audiência atendendo ao pedido do promotor Marcio do Carmo Guedes, que pretende ouvir uma mulher citada durante o depoimento de uma das 11 testemunhas. A data da nova audiência ainda não foi marcada pelo magistrado.  

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *