EM ASSEMBLEIA, SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE JEQUIÉ APROVAM PARALISAÇÃO DE 48 HORAS EM PROTESTO AO NÃO RECEBIMENTO DO SALÁRIO DE DEZEMBRO/2020

Há quase 1 mês com o salário atrasado, os servidores públicos municipais de Jequié aprovaram na manhã de hoje, 21 de janeiro, em Assembleia Geral Extraordinária, na Praça da Bíblia, a paralisação das atividades por 48 horas, em protesto pelo não recebimento do salário do mês de dezembro de 2020.

“A situação é preocupante, porque nós não sabemos o dia em que serão pagos os salários. Recebemos várias informações, mas não existe uma decisão do Governo Municipal. É um absurdo! Os servidores estão desesperados sem seus salários. Tem servidor que não tem dinheiro para pegar transporte ou colocar gasolina na moto, no carro para ir trabalhar. Vimos aqui na assembleia, servidores fazendo vaquinha para comprar mantimentos e tentar pagar algumas contas que estão atrasadas. É um desrespeito, um descaso com os servidores e servidoras”, relatou diretores do SINSERV.

Na semana passada, o presidente do SINSERV, Venício Lucena mostrou valores que entraram na conta da Prefeitura. Recursos suficientes para pagar a folha de dezembro/2020. “O município já recebeu R$ 5 milhões e 400 mil do FPM no dia 10 de janeiro e já tinha em caixa R$ 3 milhões. Com os R$ 2.719,749,99 mi, que foram desbloqueados pelo Desembargador do Tribunal Regional do Trabalho, já tem disponível o valor da folha de dezembro/2020. Então, R$ 3.000.000,00 + R$ 5.400.000,00 (FPM) + R$ 2.719.748,99 é igual a R$ 11.119,749,00 mi. É o valor que tem em caixa, suficiente para pagar os servidores. O que está faltando é boa vontade pra resolver esse problema. Vale lembrar que as dívidas herdadas da Gestão passada é do município e não do Gestor que passou”.

Além do atraso dos salários, outros pontos também foram discutidos na Assembleia: férias; licenças prêmio; a Gestão Municipal não prioriza os servidores efetivos na nomeação dos cargos em comissão; imunização dos servidores que trabalham nos serviços essenciais; 3 anos sem reajuste salarial e plano de carreira que não é cumprido.

Na assembleia, uma servidora relatou o drama que está vivendo sem o seu salário. “A minha geladeira está vazia. Eu não consegui pagar o meu cartão. A minha água, estou devendo. Meu telefone… Eu estou aqui pela força de Deus! Entendeu!? O que tá batendo aqui agora é a fome!”.

Os servidores públicos municipais aprovaram, também, uma nova Assembleia Geral Extraordinária para a próxima segunda-feira, 25 de janeiro, às 09h, na frente da Prefeitura de Jequié. Nessa Assembleia, será discutido o indicativo de GREVE.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *