Trabalhador que recebe salário mínimo trabalha em média 98 horas para comprar uma cesta básica

 

O salário mínimo pago no Brasil deveria ser de R$ 2.227,53, de acordo com cálculos do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Este valor, que leva em consideração o custo da cesta básica de alimentos em dezembro, é o mínimo necessário para atender o preceito constitucional que estabelece que o salário mínimo deve suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

O montante corresponde a 4,37 vezes o salário mínimo em vigor no mês passado, de R$ 510,00. Em dezembro de 2009, o mínimo foi estimado em R$ 1.995,91, o equivalente a 4,29 vezes o salário mínimo então em vigor, de R$ 465,00.

Cesta e jornada

Para comprar a cesta básica de alimentos em São Paulo – capital onde os produtos são mais caros -, o consumidor teve de desembolsar R$ 265,15 em dezembro, o correspondente a 56,51% do salário mínimo líquido.

A jornada de trabalho necessária para comprar os alimentos essenciais de um trabalhador que ganha o mínimo foi, na média das 17 capitais, de 98 horas e 11 minutos em dezembro, praticamente o mesmo tempo registrado em novembro, de 98 horas e 12 minutos, mas quase três horas a mais que o tempo estimado para dezembro de 2009, de 95 horas e 20 minutos.

Resultado semelhante pode ser obtido quando se compara o custo médio da cesta e o salário mínimo líquido (após o desconto da contribuição previdenciária). Em dezembro, o custo da cesta representava 48,51% do mínimo líquido; em novembro, o percentual correspondia a 48,52%, enquanto em dezembro do ano passado atingia 47,10%.

Em 1º de janeiro, o salário mínimo foi reajustado para R$ 540, porém o valor ainda deverá sofrer alteração. O assunto está em debate no Congresso Nacional. As centrais sindicais defendem um mínimo de R$ 580 e pediram uma audiência com a presidente Dilma Rousseff para debater a questão. A correção definida pelo governo não repõe as perdas impostas ao mínimo pela inflação.

Com informações do Dieese

portalvermelho.org.br

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *